A História do Jardim Perfumado

O Jardim Perfumado é outro livro que juntamente com o Kama Sutra e o Ananga Ranga pode traduzir os pensamentos e idéias dos povos da Arábia e Norte da África sobre a sexualidade humana e relacionamentos, que tiveram (em parte graças à esses livros) um forte impacto nos valores de nossa sociedade atual. Muito mais do que um simples trabalho de pornografia repleto de listas de posições sexuais como muitas pessoas ainda acreditem que sejam, esses livros oferecem interessantes visões na maneira como o sexo era tratado nos tempos antigos.

Escrito por volta do século XVI na Arábia por Sheikh Nefzaoui, o Jardim Perfumado era um manual sobre sexo, o que em uma sociedade dominada pelos homens como era na época em que foi escrito, era proibido para mulheres, especialmente por conter detalhes de posições sexuais. O livro foi também traduzido por Richard Burton (mesmo tradutor do Kama Sutra), apesar que desta feita, ele utilizou uma tradução anterior feita para o francês como referência. Considerado mais humorístico e erótico do que os outros livros sobre o assunto (especialmente o Kama Sutra), o Jardim Perfumado incluía mais do que apenas descrições de posições sexuais, mas também descrições de características de mulheres e homens atraentes, e uma extensa lista de nomes para o pênis e a vagina (Lingam e Yoni, em sânscrito) de acordo com seu tamanho e formato, e também diferentes maneiras e posições sexuais para excitar a mulher antes da penetração. Alguns especialistas afirmam que a maioria das descrições para as diferentes posições sexuais foram emprestadas de trabalhos árabes.

Também diferentemente do Kama Sutra, o Jardim Perfumado incluía um capítulo sobre homossexualidade, com claras referências à lesbianismo e um capítulo sobre pederastia. Ambos foram deixados de fora do livro quando este foi traduzido. Freqüentemente, o Jardim Perfumado é tratado como um guia de posições sexuais, da mesma forma que acontece com o Kama Sutra. É também comum vermos os ambos Kama Sutra e Jardim Perfumado juntos como se fosse um livro só, apesar de suas diferenças em conteúdo e época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *